Notícias
carregando...

Urandir Lidera Expedição Brasil da Equipe Zigurats em Pesquisa no México Buscando Evidências da Civilização Maia

A Terceira expedição Zigurats liderada por Urandir conheceu as ruínas maias na penísula mexicana de Yucatan e traçou paralelo com as amazonas




A Expedição Brasil – Equipe Zigurats realizou sua terceira atividade no período de 15 a 21 de janeiro de 2010 na Península de Yucatan, Estado de Quintana Roo, no México, visitando as ruínas da civilização maia nas localidades de Chichén-Itzá, Tulum e Cobá. Participaram da terceira expedição 87 pesquisadores do Projeto Portal, entre elas seis da França, entre médicos, advogados, professores, geólogos, estudantes, ufólogos, empresários, etc.

Com o slogan “Revelando o passado para entender o futuro”, a terceira Expedição Brasil, a exemplo das duas realizadas à Amazônia em 2005, os trabalhos se focaram na pesquisa antropológica e arqueológica, desta vez estudando as civilizações pré-colombiana maia, tolteca e asteca e sua influência no momento atual vivenciado pela humanidade e sua ligação com o Brasil, principalmente no que se refere à lenda das “amazonas” que, segundo consta, viveram muitos anos em terras brasileiras com objetivos bem diferentes do que consta da crença popular.



Urandir participou ativamente das pesquisas. Foram visitadas as ruínas maias de Chichén-Itzá, onde está a pirâmide de Ku-Kul-Kan (nome de um dos principais deuses maias, conhecido como “serpente emplumada”). Ku-Kul-Kan ou o templo das Amazonas (rainhas/sacerdotisas que dirigiam a civilização maia), representa o tempo, muito bem registrado em suas 18 plataformas, sendo 9 de cada lado da escada principal com o simbolismo da divisão do ano solar maia em 18 meses. A cada lado da escadaria principal há 26 baixos relevos, ou seja, 52 painéis por fachada que correspondem ao Ciclo Maia de 52 anos, uma parte do grande ciclo de 5.200 tuns (5.125 anos) entre os raios sincronizadores da galáxia central, período este que se encerra no equinócio de dezembro de 2012, para dar início a outro período de civilização.

Em Chichén-Itzá também foi visto “El Caracol”, um observatório construído há mil anos com a cúpula arrendondada idêntica aos atuais. A torre de El Caracol se assenta acima de quatro espirais, permitindo excelente visão do céu e da paisagem ao redor. Suas fendas ou “janelas” permitem a observação de Vênus, bem como o equinócio do por do sol. Os maias desenvolveram a aritmética de maneira que ela permitiu cálculos astronômicos com uma exatidão admirável. El Caracol foi cuidadosamente alinhado com os movimentos de Vênus.

A segunda visita foi a Tulum na Riviera Maia, também localizada na província de Quintana Roo, perto de Chichén-Itzá, com ruínas arqueológicas que são uma das mais importantes da região. Tulum tem na sua praia de areia branca e nos seus cenotes (poços naturais) como o de Angelica, o seu maravilhoso ambiente natural e seu principal patrimônio. A fundação desta cidade parece remontar ao ano 564 de acordo com algumas inscrições encontradas. No século XV chegaram os espanhóis e no século XVI ficou totalmente desabitada. Ali se encontra o farol que orientava a chegada dos navios maias por intermédio de um jogo de luz natural. Esta cidade era designada pelos maias pelo nome de Zamá, que significa cidade da aurora. Tulum é também uma palavra maia para barreira ou parede, o que se entende facilmente pois a cidade encontra-se rodeada de espessa muralha protetora. Tulum é o terceiro sítio arqueológico do México mais visitado.

A terceira parte da Expedição Brasil – Equipe Zigurats foi às ruínas da cidade da cidade de Cobá, que teve seu apogeu em torno do ano 650. A população de Cobá se utilizava do porto de Tulum para as trocas de mercadorias efetuadas na região. Cobá é uma grande cidade pré-colombiana em ruínas da civilização maia, localizada no Estado de Quintana Roo, Península de Iucatã no México. A maior parte da cidade foi construída em meados do período clássico da civilização maia, entre os anos de 500 e 900 da nossa era. Após 1000, a cidade perdeu importância política, ainda que pareça ter conservado a sua importância simbólica e ritual, que lhe permitiu recuperar certa hierarquia entre 1200 e 1500, quando se construíram diversos edifícios já dentro do estilo “costa oriental”.

Cobá tem como principal monumento a pirâmide de Nohoch Mul ou o “Castillo”, com 42 metros de altura. Possui um observatório astronómico, um campo de jogos para o denominado jogo da bola e uma pirâmide pequena logo na entrada da zona arqueológica.

Nesta localidade, situada dentro de um parque nacional, também foram pesquisadas diferentes estelas, localizadas em diferentes pontos, que corroboram a presença das rainhas (amazonas/sacerdotisas) governantes da civilização maia, que anos mais tarde misturou-se com os toltecas e astecas, sendo que a maior parte de sua população simplesmente desapareceu, deixando no ar um mistério sobre este desaparecimento, que está sendo estudado pela Expedição Brasil – Equipe Zigurats.

"A expedição foi um sucesso, conseguimos atingir nossos objetivos e esperamos voltar em breve para concluir nossas pesquisas. Novas expedições estão sendo planejadas para breve." afirma Urandir após sua volta ao Brasil

Urandir e Projeto Portal: Uma Nova Visão da Realidade

Como o Projeto Portal contribui para a ufologia, e para o Esoterismo e a Religião como um todo?


O Projeto Portal contribui no sentindo de desmistificar certos paradigmas e dogmas que pontuam as doutrinas religiosas e esotéricas, como também as sociedades em que vivemos. Aos poucos, nós vamos derrubando as teorias que versam sobre liturgias, cerimoniais e a criação da raça humana. Mostramos que o caminho é outro, que não precisamos realizar cerimônias ou endeusar seres de mundos superiores ao nosso e com tecnologias avançadas. Estamos reescrevendo a história da humanidade que, com certeza, derruba versões que hoje são consideradas verdades imutáveis. No que se refere à ufologia, mostramos com simplicidade que podemos provocar contatos e fenômenos ufológicos, o que nos torna diferentes da ufologia casuística, que estuda casos passados, sem conseguir provocar qualquer contato ou fenômeno ufológico. Estamos abrindo caminho para uma nova era, uma nova maneira de pensar e de agir que rejeita qualquer forma de controle, seja pelo medo, pela imposição, pelo dogma ou pela guerra.

Urandir explica: Como surgiu o Projeto Portal


O Projeto Portal surgiu no momento em que aceitei o compromisso oferecido pelos seres extraterrestres, que consiste em despertar pessoas para que se tornem conscientes de uma nova realidade e de suas potencialidades. Isso ocorreu quando completei 29 anos, mediante uma condição primordial. A de que os Seres se manifestassem de forma física para que eu pudesse comprovar de forma irrefutável quando fosse necessário mostrar a existência deles ou o trabalho que venho realizando. Quando isso ocorreu, tive um sonho com uma nitidez extraordinária, onde foi apontado o local para a realização dos trabalhos, formando assim a primeira comunidade. Neste sonho vi nitidamente certo morro quadrado que estaria localizado em Mato Grosso do Sul. Fui em busca deste local e encontrei na Fazenda Boa Sorte, no município de Corguinho/MS.

Urandir Explica: O que significa o Projeto Portal?


O Projeto Portal significa o caminho para o novo mundo, com tecnologias limpas, pólos industriais e comunidades auto-sustentáveis. Nosso objetivo é despertar pessoas para uma nova consciência, uma nova forma de vida. No Projeto Portal trabalhamos as pessoas para que elas desenvolvam seus potenciais de forma racional e inteligente, evitando ilusões e fantasias que proporcionem ou facilitem o controle por governos, sistemas econômicos, sociedades ou religiões. Trabalhamos também no sentido de preparar e informar o maior número de pessoas para as transformações que a Terra já está passando em termos climáticos, como a ampliação de ocorrências de fenômenos físicos pontuais, entre eles terremotos, vendavais, tsunamis, doenças inexplicáveis (por exemplo, viroses e mortes súbitas). Trabalhamos o ser humano em sua essência e como cada pessoa pode crescer e evoluir de acordo com suas habilidades natas.

O Projeto Portal existe desde 1997, na verdade, desde 12 de outubro de 1997, data oficial da fundação do Projeto Portal, embora Urandir já trabalhasse em sua construção há alguns anos.

Urandir celebra parceria com Defesa Civil













Após sessão de treinamentos com o Núcleo de Defesa Civil (NUDEC) representado pelo Major Alex Alves realizado em Belford Roxo, RJ nos dias 12 e 13 de Julho de 2008, Foi celebrada uma parceria entre o Projeto Portal (representado por Urandir Fernandes de Oliveira) e a Defesa Civil Brasileira. O Treinamento teve o objetivo de capacitar os pesquisadores do Projeto Portal para atuarem como representantes da Defesa Civil nas comunidades onde o projeto atua.
Urandir, Major Alex e pesquisadores do Projeto Portal no final do treinamento em Belford Roxo,RJ


Fonte: http://www.urandirfernandes.com.br/parcerias.html

Urandir e a Paranormalidade em sua adolescência


A paranormalidade da pessoa causa efeitos por sua mente, intuída com a força da energia mental, fora dos limites da experiência normal ou dos fenómenos explicáveis cientificamente.O poder da mente vem sendo muito pesquisado. Quando usado com equilíbrio, é fonte de segurança, de sentido existencial profundo e de auto-imagem magnetizante. A mente se compara a uma floresta virgem: domina-a quem nela se embrenha.Desde pequeno, Urandir se embrenhou na floresta da mente, conseguindo dominar os próprios caminhos.
A energia aliada à mente
Em 1966, quando surgiu a televisão com imagens em preto e branco, sua cidade natal exibiu o primeiro aparelho em praça pública. Fascinado pelo novo invento, Urandir fez-se presente ao ato. Urandir Ficava irritado quando o monitor trocava de canal a seu bel-prazer, pois desejava assistir ao programa até ao seu final. O que fez?Não suportando o troca-troca de canais, o pré-adoles-cente Urandir pôs sua mente em ação e evitou que o aparelho sintonizasse outro canal.Aconteceu que, a partir daí, Urandir interferiria também no televisor do pai. E começou a interferir também em outros aparelhos eletrônicos e a fazer alterações substanciais em certos objetos.Na fase da pré-adolescência, a energia da pessoa se potencializa e, aliada à força mental, pode operar coisas extraordinárias, descortinando-se nela a força criadora do Cosmos.Certo dia, aos treze anos, enquanto estava almoçando, Urandir percebeu que seu garfo havia entortado e ferido seus lábios. Inconformado, jogou-o no chão, xingando a mãe, culpando-a. Ato contínuo, ajuntando o garfo, este continuou a vergar-se mais e mais, até quebrar. Isto aconteceu no exato momento em que Uri Gueller apareceu num programa de televisão entortando um garfo. Estava em ação a força do pensamento positivo, atuando sobre o talher.Maravilhado, surgiu na ideia do irritadiço menino uma luz que o fez exclamar de satisfação: Ah! É isso que eu faço!...Foi o momento em que tudo se tornou claro para Urandir. Associando os fatos, entendeu que, por meio do pensamento positivo, poderia manipular a matéria e interagir com o de outrem -algo fora do normal. Tudo se lhe tornou mais fácil. Durante cerca de dois anos, persistiu em apostar com pessoas que costumavam rodeá-lo. Sempre levava vantagem, mesmo sem usar a técnica da prestidigitação.
A energia mental na prática
Na pré-adolescência, Urandir conseguia manipular a própria energia com facilidade. Tinha a convicção de que o potencial energético que a mente lhe proporcionava lhe era muito útil financeiramente, além de prazeroso. Firme no propósito, Urandir usou o valioso potencial direcionado tão-somente para coisas positivas.Sua vida na escola mudou. De forma intuitiva, Urandir começou a orientar os colegas de classe. Dizia, por exemplo, a um e a outro:Fale isso e aquilo para sua mãe. Ela vai lhe dar o que você quer. Ou ainda:Não faça isso ou aquilo com seus pais.Urandir era bem aceito, tanto isto é verdade que sua conduta lhe valeu o apelido de Santo - até hoje, os familiares chamam-no assim. Tudo o que dizia acabava acontecendo favoravelmente.A mente pode ser usada em favor do outro: é como ajudá-lo a usar uma fonte de benefícios que está dentro dele.
Influência do plano religioso
O modo de viver do ser humano sempre esteve ligado à religiosidade.Conquanto o indivíduo seja o que decide ser e não o que impõem coisas evanescentes, tais como siglas, dogmas e doutrinas, dificilmente ele não mistura religião com profissão - o que é bom augúrio.Naquela época, como ainda hoje, o plano religioso exercia influência quase decisiva sobre o espírito das pessoas. As desavenças internas e externas, nas diversas crenças, estavam menos deflagradas.Por índole, as pessoas interioranas são bastante religiosas.Urandir residia no interior de São Paulo (SP) - razão por que o seu apelido de Santo ganhava sentido com essa condição.Determinada crença religiosa, sobretudo quando provinda de berço, é um traço característico que marca muito os humanos. A propensão para certo tipo de fé parece estar embutida neles como parte de sua existência. O arraigamento da crença de foro íntimo -, com poder quase de mando, é tão complexo e inexplicável talvez - como o modo de amar e de rir.Dona Francisca conhecia uma senhora (feiticeira ou macumbeira), tida e havida como bruxa. Com relativo acerto, predizia os acontecimentos. Ela havia perdido um filho. E, ao conhecer o pequenino Urandir, exclamou com sentimento de profunda saudade:Ah!... Ele se parece com o anjinho que eu tenho na parede!Os dias iam passando e, a cada referência ao pequenino, chamava-o de Santinho.Adulto, ao Urandir narrar o fato, declara com modéstia: Não é que eu fosse um anjo, não. O carinho dela por mim levou-a a chamar-me assim.

A Paranormalidade de Urandir - Como começou
















A paranormalidade da pessoa causa efeitos por sua mente, intuída com a força da energia mental, fora dos limites da experiência normal ou dos fenómenos explicáveis cientificamente.O poder da mente vem sendo muito pesquisado. Quando usado com equilíbrio, é fonte de segurança, de sentido existencial profundo e de auto-imagem magnetizante. A mente se compara a uma floresta virgem: domina-a quem nela se embrenha.Desde pequeno, Urandir se embrenhou na floresta da mente, conseguindo dominar os próprios caminhos. A energia aliada à mente Em 1966, quando surgiu a televisão com imagens em preto e branco,
sua cidade natal exibiu o primeiro aparelho em praça pública. Fascinado pelo novo invento, Urandir fez-se presente ao ato. Urandir Ficava irritado quando o monitor trocava de canal a seu bel-prazer, pois desejava assistir ao programa até ao seu final. O que fez?Não suportando o troca-troca de canais, o pré-adoles-cente Urandir pôs sua mente em ação e evitou que o aparelho sintonizasse outro canal.Aconteceu que, a partir daí, Urandir interferiria também no televisor do pai. E começou a interferir também em outros aparelhos eletrônicos e a fazer alterações substanciais em certos objetos.

trecho original em http://www.urandir.com.br/paranormalidade.html

Parceria de Urandir e Projeto Portal com Exército Brasileiro


Durante a segunda expedição à Amazônia o Projeto Portal recebeu apoio do Exército Brasileiro. Firmou-se então uma parceria nas pesquisas realizadas na floresta Amazônica. Na selva foram encontradas evidências de remotas civilizações rupestres e até espantosas antigíssimas marcas circulares atribuidas a pouco de objetos voadores na antiguidade. Urandir Fernandes de Oliveira participou comandando a equipe Ziguratis do Projeto Portal.

Urandir e mais fatos de sua paranormalidade

Urandir Prova sua paranormalidade em programa da Rede Globo

Trecho do programa Fantástico da Rede Globo onde um grupo de pesquisadores brasileiros e americanos estudam e comprovam a veracidade dos fenômenos paranormais de Urandir Fernandes de Oliveira. Prova incontestável para os que duvidam ou acreditam nas inverdades que colocam na internet.





Urandir Prova sua paranormalidade em programa da Rede Globo

Trecho do programa Fantástico da Rede Globo onde um grupo de pesquisadores brasileiros e americanos estudam e comprovam a veracidade dos fenômenos paranormais de Urandir Fernandes de Oliveira. Prova incontestável para os que duvidam ou acreditam nas inverdades que colocam na internet.